Nilton Santos

Write on Segunda, 18 Fevereiro 2019
Os vereadores de Bebedouro votam hoje (18), a partir das 20h, o projeto de lei nº 15/2019, de autoria do Poder Executivo, que autoriza a abertura de um crédito suplementar no valor de R$ 2,89 milhões para a contratação de uma empresa que fará serviços de recapeamento asfáltico em vários setores da cidade.
 
Pelo projeto, que deve ser votado em sessão extraordinária, serão contempladas ruas da área central, Vila Major Cícero de Carvalho, São Francisco, São Sebastião, Vila Paula, Pq Eldorado, Cruzeiro, Residencial Bebedouro, entre outros.
 
Na ordem do dia da pauta de hoje constam dois requerimentos. O primeiro deles – de autoria do vereador Rogério Mazzonetto (PDT) – requer informações sobre a construção da Fatec em Bebedouro. No outro requerimento, Silvinho do Pão de Queijo e Fernando Piffer, ambos do PSDB, fazem questionamentos a respeito da canalização do Córrego Parati.
Write on Sexta, 08 Fevereiro 2019

Os vereadores de Bebedouro discutem e votam nesta segunda-feira (11), em sessão ordinária, o projeto de lei nº 87/2018, de autoria do prefeito Fernando Galvão Moura, que visa corrigir dispositivos da Lei Municipal 4.072, de 30 de dezembro de 2009, referentes à concessão de incentivos à titulação aos profissionais da educação.

Enviado à Câmara a pedido da Secretaria Municipal de Educação, o projeto – segundo a própria pasta – visa corrigir irregularidades que estariam ocorrendo nos pagamentos destes benefícios aos professores ocupantes de cargos na gestão municipal.

Também na ordem do dia está o requerimento de autoria do vereador Engenheiro Nasser (Rede) com questionamentos  sobre a possibilidade de terceirização da gestão ampla do Hospital Municipal Júlia Pinto Caldeira.

Write on Quarta, 06 Fevereiro 2019
Os vereadores de Bebedouro aprovaram nesta segunda-feira (4), durante a primeira sessão ordinária do ano, dois projetos de lei que tratam da abertura de créditos que somam pouco mais de R$ 760 mil para serviços de recapeamento asfáltico e tapa buracos no município.
 
Os recursos se referem a convênios assinados com o Governo do Estado após empenho dos vereadores Fernando José Piffer e Silvinho do Pão de Queijo junto aos então deputados Marco Vinholi (estadual) e Samuel Moreira (federal). Piffer e Silvinho integram a bancada do PSDB na Câmara de Bebedouro.
 
Pelo projeto de lei nº 8 aprovado nesta segunda-feira estão sendo destinados R$ 250 mil. Já através do outro projeto, de nº 9, estão sendo destinados R$ 470 mil. Ambos os recursos serão empregados na melhoria viária dos bairros Casagrande, São João, Cruzeiro e Jd Esplanada.
 
Em pronunciamento na tribuna, em nome da bancada do seu partido, Fernando Piffer voltou a agradecer aos que ele chamou de “amigos de Bebedouro”, Samuel Moreira e Marco Vinholi, que não têm medido esforços para destinar investimentos para a cidade. “São pessoas que estão em São Paulo e em Brasília lutando por Bebedouro”, reconheceu Piffer.
Write on Terça, 05 Fevereiro 2019
Em cumprimento à Lei Municipal 5.241, de 21 de novembro de 2017, de iniciativa do vereador Nasser José Delgado Abdallah (Rede Sustentabilidade), ex-alunos e funcionários do Educandário Santo Antonio inauguraram – neste domingo (3) – o busto em homenagem ao sacerdote franciscano Frei Eduardo Chagas Nithack, que por mais de duas décadas esteve à frente da instituição.
 
O evento foi marcado pela emoção em discursos que relembraram o período de 1974 a 1995 em que Frei Eduardo presidiu o Educandário, sempre valorizando a educação, o esporte, a cultura e a disciplina.
 
Toda a obra foi custeada com recursos levantados pelos próprios ex-alunos e ex-funcionários do Educandário junto à comunidade com o apoio do vereador Nasser.
 
Coube a Frei Nivaldo Pasqualin, da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, a acolhida dos participantes, e seguiu com apresentações da fanfarra do Educandário, discursos de ex-alunos, familiares e autoridades, e por fim com a inauguração do busto de Frei Eduardo na rotatória batizada pela Lei 5.241 com o seu nome, na confluência das Avenidas Donina Valladão Furquim e Sérgio Sessa Stamato, na avenida do lago.
 
Em seu pronunciamento, o ex-aluno Américo Donizete Batista, que se tornou maestro após estudar na Unicamp, lamentou muito a perda de Frei Eduardo em abril de 2017 aos 80 anos, porém disse que os seus ensinamentos jamais sairão da memória.
 
Outro ex-aluno a fazer uso da palavra, o jornalista Nilton Santos – bastante emocionado – destacou que o mérito de Frei Eduardo e do próprio Educandário não está apenas nos profissionais que lança todos os anos no mercado de trabalho, mas nos cidadãos responsáveis que se tornarão úteis para a sociedade, assumindo suas famílias e cumprindo seus deveres como pessoas de bem.
 
 
Reconhecimento
 
Para a irmã Dulce Ana Chagas Nithack  e Frei Fernando Aparecido dos Santos, ministro custodial, Frei Eduardo foi um exemplo de franciscano, praticando a caridade aos necessitados e distribuindo ensinamentos por onda passava.  
 
Na opinião da atual presidente do Educandário, Márcia Heloisa Iquegami, a homenagem representa um gesto de gratidão e reconhecimento a Frei Eduardo, o qual tem como inspiração para continuar se dedicando às causas das crianças e adolescentes carentes de Bebedouro, em especial do Educandário.
 
Com a sensação do dever cumprido, vereador Nasser aproveitou para pedir as autoridades - que diante do trabalho tão bonito desenvolvido pelo Educandário - olhem sempre com carinho para instituições como ela, que carecem de recursos para prosseguir com seus projetos.
 
O presidente da Câmara, Carlos Renato Serotine (SD), o Tota, aproveitou para cumprimentar a diretoria do Educandário ao ver a história iniciada por Frei Eduardo tendo sequencia com os diretores que o sucederam nestes 60 anos de história.
 
Ao finalizar, o chefe de Gabinete da Prefeitura, Paulo Sérgio Garcia Sanches, destacou a importância de Frei Eduardo para o Educandário e também para sua formação religiosa e de sua família.
Write on Terça, 18 Dezembro 2018
Conte com a Câmara de Bebedouro durante todos os dias do novo ano.
Write on Sexta, 14 Dezembro 2018
O espancamento até a morte de um cachorro que perambulava pelo estacionamento  de uma unidade do Hipermercado Carrefour no mês passado, em Osasco, rendeu uma moção de repúdio contra o segurança que cometeu o crime e contra a direção do hipermercado, na Câmara de Bebedouro.
 
A moção, aprovada por unidade pelos vereadores, foi proposta pela vereadora Mariangela Ferraz Mussolini (MDB), que se sentiu indignada diante das atrocidades cometidas pelo segurança. O documento será encaminhado à rede de supermercados para que o fato não volte a se repetir. Diante da repercussão, o segurança fora demitido dias depois.

“O cão foi espancado a pauladas e envenenado, chegou a ser socorrido pelo Centro de Controle de Zoonoses da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu”, lamentou Mariangela, na moção.

De acordo com a vereadora, não se pode em hipótese alguma aceitar nenhuma ação desse tipo. “Lutamos pelo bem-estar dos animais e para que eles tenham uma vida digna e protegida de pessoas cruéis como essas envolvidas nesse caso horrível e repugnante”, observou Mariangela, que tem reservado grande parte do seu tempo à defesa animal.
Write on Sexta, 14 Dezembro 2018
Água mole em pedra dura tanto bate que uma hora fura. Com este pensamento, o vereador Nasser José Delgado Abdallah (Rede), o Engenheiro Nasser, apresentou novamente ao prefeito Fernando Galvão Moura suas indicações para que os moradores do bairro Residencial Antonia Santaella e adjacências tenham suas reivindicações atendidas.
 
Desde o ano passado, o vereador vem cobrando a realização de um operação tapa-buraco que contemple as ruas do Santaella, sobretudo a Aristides Zacarelli, mas sem sucesso, e voltou a reclamar da falta de atenção – por parte do prefeito -  àquele setor da cidade, compreendido pelos bairros Candinho, Hercules Hortal, Centenário e Pedro Maia.
 
Nasser não parou por aí ao encaminhar também à Prefeitura solicitações para operações tapa-buracos e serviços de limpeza no Parque Residencial Eldorado e no distrito de Botafogo.
 
O vereador também cobrou, em seu discurso na tribuna, a manutenção urgente das estradas rurais, as quais não vinham possibilitando nem a circulação dos ônibus escolares.
Write on Quarta, 12 Dezembro 2018
Por unanimidade, os vereadores de Bebedouro aprovaram nesta semana – em sessão extraordinária – o projeto de lei nº 96/2018 – de autoria do Poder Executivo – que põe fim à circulação de caminhões canavieiros nas vias públicas do povoado de Andes.
 
O projeto de lei foi encaminhado pelo prefeito Fernando Galvão Moura para votação após mobilização dos moradores de Andes, a qual culminou com a realização de uma audiência pública encabeçada pela Câmara Municipal, no próprio povoado.
 
Com a audiência, um documento foi gerado e encaminhado à Promotoria Pública e policias para as devidas providências. No documento, os moradores exigiam o fim do tráfego de caminhões transportando cana-de-açúcar por entre as ruas do povoado sob a alegação de danos às vias públicas, residências, comércio, meio ambiente e os riscos à saúde e à segurança da população, sobretudo crianças e idosos.
 
Com a aprovação do projeto, que cumpre decisão da Justiça, e atende também à legislação municipal, as usinas terão de direcionar o trânsito para as estradas rurais que serão desafetadas para alienação e liberadas para os caminhões como rota alternativa.
 
Durante discurso na tribuna da Câmara, segunda-feira (10), a vereadora Sebastiana Tavares (DEM)  agradeceu ao presidente Chanel (SD) pelo apoio nesta luta em prol dos moradores de Andes e disse esperar que os moradores do Jardim União e do Jardim São Carlos, que também enfrentam os mesmos problemas com a circulação dos canavieiros, também possam ser beneficiados com a medida.
 
Para Chanel, a proibição dos caminhões em Andes representa o  primeiro passo para que novos setores de Bebedouro possam ser atendidos em suas reivindicações.
 
Fernando Piffer (PSDB) destacou a importância do Poder Legislativo nesta conquista. “A Câmara está defendendo a população sem prejudicar ninguém.” Paulo Bola (MDB) completou dizendo que a Prefeitura, por sua vez, apenas cumpriu uma decisão provocada pelos moradores de Andes e pelos vereadores ao encaminhar o projeto de lei para votação na Câmara.