Prefeito poderia ter flexibilizado abertura de igrejas, afirma pastor

Ao fazer uso da tribuna livre, o pastor Robson Freire Vilela afirmou que o prefeito poderia sim ter flexibilizado a abertura dos templos religiosos e que o mandado de segurança impetrado por um munícipe não impediria uma ação tomada pelo prefeito. O líder religioso disse que a caneta é do prefeito e que juridicamente ele poderia ter feito isso.

Vilela disse que o conselho de pastores é cobrado quanto à abertura das igrejas e que é complicado explicar aos fiéis o motivo dos bares abrirem e as igrejas não. O conselho procurou o munícipe que impetrou o mandado de segurança para que ele desistisse e assim o prefeito liberasse as igrejas, mas não obteve sucesso. O presbítero teve a decisão negada e recorreu.

 O pastor disse que algumas cidades flexibilizaram com as devidas recomendações. “As crianças estão sem creche, os pais começam a se desesperarem, o desemprego acontece. A brasa fora do braseiro, a tendência é apagar”.

Entenda o caso: o munícipe Euler Domingues entrou com um mandado de segurança pedindo a abertura das igrejas.  O conselho de pastores se reuniu na prefeitura e solicitou a flexibilização das igrejas, mas a resposta que foi dada é que por conta da judicialização do assunto, o executivo teria que esperar a decisão da justiça.

X

Desculpe-nos

Não é permitido download