Presidente da Câmara rebate reportagem da Gazeta de Bebedouro

O presidente da Câmara, Carlos Renato Serotine (SD), usou a tribuna para rebater as últimas informações divulgadas pela Gazeta de Bebedouro, tanto em relação ao duodécimo como aos supersalários da Câmara.

Tota disse que havia explicado ao periódico por meio de ofício de que ele não pode abrir mão do duodécimo (dinheiro mensalmente que é enviado à Câmara pela prefeitura), visto que é algo aprovado em lei e ele não pode renunciar a receita, mas que à semelhança dos anos anteriores, o Legislativo economizaria o dinheiro e devolveria no fim do ano. Entretanto, no periódico foi anunciado que a Câmara negou o pedido de redução do duodécimo e não foi colocado o ofício na íntegra.

Tota também rechaçou a afirmação de que teria ameaçado o jornal. Ele apenas se recusou a dar entrevista sobre os salários, porque o veículo de comunicação, de acordo com ele, falta com a verdade. O presidente explicou que assim como na prefeitura, a Câmara também aplica a redutibilidade de teto salarial, caso o funcionário ganhe mais que o prefeito.

O vereador disse que não negou informação ao jornal e disse que não concorda que a Gazeta de Bebedouro seja o principal veículo de comunicação da cidade. “Vocês podem ser o mais antigo, mas não são o principal. Há muito tempo que não são.

Por fim, o presidente deixou duas perguntas para o jornal responder: “Quem é o dono da gazeta de Bebedouro? E quem pagou as contas da Gazeta?”

X

Desculpe-nos

Não é permitido download