Por unanimidade, Legislativo aprova Plano Municipal de Educação Ambiental

Vereador Professor Jorge: "É preciso avançar mais com a articulação entre Governo e sociedade" Vereador Professor Jorge: "É preciso avançar mais com a articulação entre Governo e sociedade" Foto: Assessoria de Imprensa/Câmara
Os vereadores de Bebedouro aprovaram – nesta segunda-feira (18), em sessão ordinária – o projeto de lei nº 54/2019, de autoria do Poder Executivo, que institui o Plano Municipal de Educação Ambiental. 

Sem emendas, o Plano aprovado pelo Legislativo deverá passar por revisão a cada quatro anos e ficará sob a responsabilidade da Comissão Municipal de Educação Ambiental (CMEA), que será criada. 

O projeto foi elaborado pela equipe de educação ambiental do Departamento Municipal de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente, juntamente com o setor de educação ambiental da Secretaria de Educação e Conselho Municipal de Meio Ambiente tendo como base as diretrizes do Programa Município Verde Azul e da Câmara Técnica de Educação Ambiental do Comitê de Bacia Hidrográfica do Baixo Pardo/Grande. 

Durante a discussão do projeto, o vereador Artur Henrique (DEM) agradeceu à diretora do Departamento Municipal de Meio Ambiente, Angela Brunelli, que esteve na Câmara apresentando o Plano aos vereadores. “Sinceramente não tenho dúvidas de que será uma iniciativa (o Plano) que refletirá nas gerações futuras desta cidade”, comentou Artur. 

O vereador Jorge Emanoel Cardoso Rocha (PSD), o Professor Jorge, abordou a intervenção humana no meio ambiente, a qual no caso de Bebedouro acabou levando a uma urbanização desorganizada, prejudicando nascentes, matas ciliares e, desta forma, a qualidade de vida do bebedourense. 

Para Jorge Cardoso, já há leis que tratam sobre educação ambiental no País, no Estado e até em Bebedouro a partir da criação do seu Conselho Municipal de Meio Ambiente, porém disse ser preciso avançar mais, com a articulação entre Governo e sociedade. 
Entre as finalidades do plano estão a promoção de processos de educação ambiental através dos setores públicos e da sociedade civil, como a difusão da dimensão ambiental nos projetos do município, o incentivo à valorização da relação  cultura e meio ambiente, o apoio aos pequenos produtores rurais, à arborização urbana, à preservação de nascentes, etc. 

Nasser José Delgado Abdallah (Rede), o Engenheiro Nasser, confessou que jamais teve dúvidas em relação à importância do projeto, contudo se disse preocupado com o fato de parecer um disparate quando o chefe do Executivo que deveria dar exemplo e não o faz em relação ao meio ambiente.

Nasser também classificou como politicagem a decisão do prefeito Fernando Galvão em considerar a captação de água de reúso no Plano Municipal de Educação Ambiental depois de ter por quatro vezes rejeitado a proposta, que é de sua autoria na Câmara.