Por 5 votos 4, vereadores aprovam locação de computadores

O projeto que abre crédito suplementar no valor de R$ 653.000,00 para locação de equipamentos de informática para prefeitura e para as secretarias de Saúde e Educação foi aprovado por 5 votos a 4. Serão locados 135 computadores para prefeitura, 350 para educação e 50 para saúde. Foram favoráveis os vereadores Artur Henrique (DEM), Juliano Cesar (PSD), Jorge Cardoso (PSD), Mariangela Mussolini (MDB) e Rogério Mazzonetto (PDT).  Votaram contra os vereadores Fernando Piffer (PSDB), Nasser (Rede), Paulo Bola (PMDB) e Silvio Delfino (PSDB).  O vereador Chanel (SD) esteve ausente o presidente Tota Serotine (SD) só vota em caso de desempate.

O líder do prefeito, Artur Henrique (DEM), defendeu a aprovação do projeto e disse que as unidades de saúde seriam as mais beneficiadas com a modernização dos equipamentos resultando em um melhor atendimento à população. Ele lembrou também que a locação dos computadores implicaria a manutenção dos equipamentos e caso o projeto não fosse aprovado, os vereadores seriam responsáveis pelo atendimento na Saúde.

Os vereadores que se manifestaram de forma contrária argumentaram que o valor de locação por máquina seria mais caro do que a compra do equipamento e não viam vantagem para o município na aquisição das máquinas.

De acordo com Paulo Bola, o valor do aluguel de cada computador sairá por mais de R$4000,00. Para ele, seria mais vantajoso que a prefeitura comprasse no lugar de alugar, visto que além de ser mais barato, o equipamento ficará para prefeitura. O vereador também argumentou que 50 computadores é um número bem inferior ao que a Saúde precisa.

Nasser lembrou que o projeto tramitou desde o dia 13 de março e quando analisou o projeto viu que era um crédito suplementar, logo, o valor era maior que o R$ 653.000,00. Ele ainda disse que vereador não era despachante de prefeito para carimbar tudo o que vem do Executivo.

Já Fernando Piffer disse que o próprio técnico da prefeitura não sabia o porquê de o projeto ter vindo para Câmara. “O que se quer fazer é jogar nas costas da Câmara que a Prefeitura vai pagar 4 vezes o valor de computador”. O vereador ainda afirmou que falta gestão ao Executivo já que havia um pedido por novos computadores desde janeiro de 2017 e somente em 2019 se atentaram para isso.