Reabrir a vicinal é a única solução

A Audiência Pública, convocada pelo vereador José Baptista de Carvalho Neto, o Chanel (SD), realizada na Câmara Municipal, em 16 de abril, foi esclarecedora e coerente no debate para conseguir a reabertura da estrada vicinal que passa pela Fazenda Santa Irene e permite o escoamento da safra de cana de açúcar daquela região, da única maneira economicamente viável.

Primeiramente, Chanel apresentou o problema aos presentes, representantes de unidades industriais, fornecedores de cana, associações de classe, moradores dos bairros São Carlos e União e moradores de Andes, documentando as informações com mapas do IBGE e do Plano Diretor do Município que há muito tempo já demarcam três estradas dentro da fazenda Santa Irene. Chanel especificou que, dentre elas, a que se reivindica é a BBD136 de1,5km que chega até a alça de acesso à Rodovia Faria Lima Km 364, esta é a rota ideal e foi fechada pela Fundação.

O vereador deixou claro que a Audiência Pública não contesta o trabalho relevante e inquestionável da Fundação Abílio Alves Marques, porém, impedir a passagem prejudica mais de 85 produtores e seis empresas que alavancam a economia local. Isso é um assunto de interesse público e depende de resolução imediata, pois o corte e a entrega da cana inicia-se em maio.

Completando as informações, disse que a prefeitura já depositou o valor da desapropriação de R$200 mil (recusado pela Fundação), porém, existe a possibilidade de cinco usinas acrescentarem um valor correspondente ao que a entidade arrecadaria nos próximos 66 anos.

As exposições dos membros da mesa formada por Chanel também foram muito consistentes, especialmente a da diretora do Departamento do Meio Ambiente, engenheira Angela Brunelli, que afirmou não existir plano B - a única alternativa viável é a referida rota, já existente e usada há muitos anos.  “É o melhor caminho, menor e mais barato. São muitas famílias na área e muitos produtores que dependem dessa estrada para entregar sua safra de cana para as usinas”, informou com profundo conhecimento do trajeto e a devida experiência no assunto.

O advogado da Prefeitura, Caio Ilário Filho declarou que o processo está na fase de nova perícia técnica, determinada pela justiça, para avaliar se o valor depositado é condizente. Em seguida, se não houver impugnação, a desapropriação deverá ser cumprida dentro de 30 dias, conclui o advogado.

Vale destacar também as manifestações positivas de muitos dos presentes, com depoimentos de apoio e entendimento da gravidade do problema criado e que precisa de uma urgente solução. Ao encerrar a audiência, como anfitrião, Chanel agradeceu a presença e o apoio da sociedade ali muito bem representada e pediu o compromisso de todos para que procurem os componentes do Conselho da Fundação. “São pessoas muito conhecidas e de fácil acesso que precisam