Siumara Quintella emprestará nome a diploma que homenageia mulheres

A professora Siumara da Silveira Melo Quintella terá o seu nome cunhado no diploma de Reconhecimento Público que homenageia as mulheres que se destacaram em trabalhos sociais e na luta pelos seus direitos e pelos direitos de toda a sociedade. Esse ano, a Câmara Municipal recebeu 30 nomes de mulheres que receberão o reconhecimento

A escolha foi sugerida pelos servidores do Legislativo Iveta Spada e Miguel Quessada que reconheceram o legado da professora para o município de Bebedouro. “Uma pessoa que sempre viu a educação como direito e que não mediu esforços para que a educação bebedourense fosse de qualidade não poderia passar despercebida pelo Legislativo. Tenho certeza de que as mulheres que serão homenageadas esse ano serão muito bem representadas”, destaca Quessada.

Uma das indicadas para receber o diploma, a diretora interina Sonia Paro não conteve as lágrimas quando soube que o nome de Siumara estaria perpetuado no diploma. “Se Bebedouro hoje tem a plataforma Educacross por meio das escolas Maria Fernanda e Stelio Machado Loureiro foi graças à Siumara que me convidou para participar do projeto na época”.

Reconhecida no campo educacional, a professora Siumara trabalhou como docente na rede pública estadual, além de atuar como professora e coordenadora pedagógica do colégio Anjo da Guarda. Ela também foi conselheira e orientadora educacional do Educandário Santo Antônio. Como coordenadora do curso de Pedagogia, foi responsável pela formação de inúmeros docentes que hoje trabalham nas escolas de Bebedouro e região. Graças à parceria com a SEMEB, houve a realização de diversos eventos voltados à formação continuada dos professores.

Instituído pelo decreto 404/2013, de autoria do então vereador Luiz Carlos de Freitas (PT), o Poder Legislativo homenageia anualmente as mulheres. Desde o ano de 2017, por sugestão do vereador Chanel (SD), o diploma faz uma homenagem póstuma a uma mulher que fez história em Bebedouro. A primeira a emprestar o nome foi a Dona Zinha de Carvalho. Em 2018, o nome da professora Osória Lopes José Andrade foi escolhido para o diploma.