Vereadores aprovam projeto que acaba de vez com tráfego de canavieiros em Andes

Vereadores aprovam projeto que acaba de vez com tráfego de canavieiros em Andes

Por unanimidade, os vereadores de Bebedouro aprovaram nesta semana – em sessão extraordinária – o projeto de lei nº 96/2018 – de autoria do Poder Executivo – que põe fim à circulação de caminhões canavieiros nas vias públicas do povoado de Andes.
 
O projeto de lei foi encaminhado pelo prefeito Fernando Galvão Moura para votação após mobilização dos moradores de Andes, a qual culminou com a realização de uma audiência pública encabeçada pela Câmara Municipal, no próprio povoado.
 
Com a audiência, um documento foi gerado e encaminhado à Promotoria Pública e policias para as devidas providências. No documento, os moradores exigiam o fim do tráfego de caminhões transportando cana-de-açúcar por entre as ruas do povoado sob a alegação de danos às vias públicas, residências, comércio, meio ambiente e os riscos à saúde e à segurança da população, sobretudo crianças e idosos.
 
Com a aprovação do projeto, que cumpre decisão da Justiça, e atende também à legislação municipal, as usinas terão de direcionar o trânsito para as estradas rurais que serão desafetadas para alienação e liberadas para os caminhões como rota alternativa.
 
Durante discurso na tribuna da Câmara, segunda-feira (10), a vereadora Sebastiana Tavares (DEM)  agradeceu ao presidente Chanel (SD) pelo apoio nesta luta em prol dos moradores de Andes e disse esperar que os moradores do Jardim União e do Jardim São Carlos, que também enfrentam os mesmos problemas com a circulação dos canavieiros, também possam ser beneficiados com a medida.
 
Para Chanel, a proibição dos caminhões em Andes representa o  primeiro passo para que novos setores de Bebedouro possam ser atendidos em suas reivindicações.
 
Fernando Piffer (PSDB) destacou a importância do Poder Legislativo nesta conquista. “A Câmara está defendendo a população sem prejudicar ninguém.” Paulo Bola (MDB) completou dizendo que a Prefeitura, por sua vez, apenas cumpriu uma decisão provocada pelos moradores de Andes e pelos vereadores ao encaminhar o projeto de lei para votação na Câmara.